>Da necessidade de um lazer, e organizado

>

 
A imagem abaixo (clicar pra ver maior) reflete bem como tenho ocupado esses dias de folga (findo texto da qualificação do mestrado, mereço uns dias de descanso): um print screen do meu player de música preferido, o Media Media Monkey 28.03Monkey. Sim, é com isso que tenho ocupado meu tempo: com música. E não apenas ouvindo: organizando a minha biblioteca de quase 4700 faixas (91 entre elas de podcasts). Ufa, trabalho pacas, mas agora está tudo certinho: faixas tagueadas, volumes ajustados para no máximo 89 dB (que não quero ficar surda).
E isso é necessário?”, alguém pode perguntar – “pra que gastar tanto tempo catalogando música, não é só procurar na biblioteca o que quer ouvir?”. Claro que é necessário. Quem ouve música o dia inteiro, como eu, precisa ter as faixas arrumadinhas. Pra quem não sabe, quando se baixa música na internet nem sempre elas estão nomeadas direito, então as vezes procurar um simples álbum pode ser uma tarefa hercúlea. Imagina no meio de quase 300 álbuns. A organização apropriada facilita muito a vida de um apaixonado por música: quando se quer ouvir um determinado tipo de música, é só ir na tag do tipo correspondente (o mais difícil na hora de taguear é botar UMA tag pra cada artista); quando se quer fazer uma playlist,nada pior do que não achar rápido a música que se quer; quando se quer ouvir no MP3 player, uó ficar vendo informação faltando sem ter como remediar na hora;por fim, como apreciar verdadeiramente o que se está ouvindo sem saber o nome da faixa, do disco, e até mesmo do artista ao certo, sem a capa do álbum? Por isso tudo, é que dediquei meu tempo de folga a essa tarefa chata mas recompensante: é como organizar o quarto, um saco na hora mas depois uma beleza pra deixar a mente organizada e tranquila.
Aproveitei essa organização pra ouvir músicas que baixei por impulso, que deixei pra ouvir depois. E descobri o quanto Jazz é bom. E o quanto é engraçado ver Beethoven tocando enquanto se visualiza álbuns de Metal, Funk e Rockizinho básico ao lado (como na foto).
9730_146075196648_146073286648_2602202_5717036_nE por que música, e não outro lazer, como… ler romances? Por uma razão simples: depois de escrever praticamente o equivalente a um TCC de graduação, tudo o que eu menos quero, no momento, é ver um livro na frente. Não interessa se um romance, uma aventura, o que for. Minha bibliofilia no momento está em algum lugar distante e desconhecido e nem vou procurar o resgate. Lembro agoera de uma grande amiga, a Sahra, que sempre me falou da importância de se ter algo de lazer estrito, que você não queira de forma alguma estudar, que seja um porto seguro pra esses momentos. Agora entendi a guria, perfeitamente. Agora percebo que qualquer coisa expressa por palavras apenas escritas eu estudaria. Mas, música não: música é o meu porto de lazer, que quando canso da bibliofilia é o que salva a minha alma, literalmente.
i love booksAmo livros, mas por enquanto não uso essa imagem não.
 
 
Now Playing: The Smiths – Rank – Still Ill
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s