Emma e Orgulho e Preconceito

Vez ou outra, quase nunca, alugo filmes. E essa semana o quase nunca aconteceu. Por uma razão simples: estou lendo Emma, da Jane Austen,  no original. Não sou tão fluente em inglês, o que dificulta um tanto a minha leitura. Pra ver se me estimulava a terminar a leitura, aluguei Emma. Sendo apaixonada pelo livro Orgulho e Preconceito, decidi alugar a versão cinematográfica de 1940, com Laurence Olivier como Mr. Darcy. Pra fechar a conta da promoção da locadora, os dois primeiros filmes da trilogia Sissi. Mas deles eu falo depois (quando terminar de rever a trilogia).

Comecemos com o Emma. Ele cumpriu seu papel: me estimular a terminar a leitura, apesar da dificuldade linguística. Comecei a ler Emma por duas coisas: por ser Jane Austen e depois de saber que Clueless – filme bobo que adoro – é uma paródia moderna de Emma. Mas esses estímulos esbarraram na dificuldade linguística em ler o livro no original. Aluguei o filme na tentativa de ter um estímulo a mais pra completar a leitura. Funcionou. Se por um lado sei agora praticamente tudo que vai acontecer, por outro lado agora tenho mais vontade de conhecer o original, e a leitura agora está num ritmo aceitável. Quanto ao filme propriamente dito, não tenho como opinar do ponto de vista da adaptação, logicamente. Pra quem ainda não entendeu nada de nada do post, pequena sinopse: Emma é uma jovem rica, inteligente e bonita, que tem como passatempo preferido ser cupido de seus amigos. E acaba não dando certo, e no processo Emma se vê obrigada a amadurecer. E à medida que amadurece, fica menos antipática. Gwyneth Patrow faz a personagem principal, e de forma convincente. Toni Collete ótima, como sempre, como a amiga que Emma quer ajudar. E Ewan McGregor faz pequena aparição e… péssimo, canastrão toda vida. Acho que a pior atuação que já vi dele. Os outros atores conheço realmente pouco, não tenho como comparar com outros trabalhos. Mas de uma maneira geral todo o elenco esteve bem ao fazer personagens de uma história passada na Inglaterra da primeira metade do século XIX.

E agora vamos ao Orgulho e Preconceito, versão de 1940. Adorei. Algumas coisas foram modificadas, adocicadas. Mas nada que estragasse a essência da história – que narra as aventuras e desventuras das jovens irmãs Bennet em busca de um futuro ao menos razoável , através de casamentos. Algumas atuações (especialmente a do Mr. Collins) estavam bem caricatas, trazendo uma pitada a  mais de comédia. Mesmo com essas modificações, é uma boa adaptação, e quando o filme terminou tive a certeza de que vou rever, passado um tempo. Afinal, não vou perder uma boa adaptação em que Laurence Oliver faz o querido Mr. Darcy (L).

Anúncios

3 comentários em “Emma e Orgulho e Preconceito

  1. I wish more people would write blogs like this that are really fun to read. With all the fluff floating around on the net, it is rare to read a blog like this instead.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s