>Dia 18 – um poema

>Recado aos amigos distantesMeus companheiros amados,não vos espero nem chamo:porque vou para outros lados.Mas é certo que vos amo.Nem sempre os que estão mais pertofazem melhor companhia.Mesmo com sol encoberto,todos sabem quando é dia.Pelo vosso campo imenso,vou cortando meus atalhos.Por vosso amor é que pensoe me dou tantos trabalhos.Não condeneis, por enquanto,minha rebelde maneira.Para libertar-me … Continue lendo >Dia 18 – um poema

>Gregório de Matos

>Não vou aqui falar quem foi Gregório de Matos. Não com detalhes, mas facilmente se pode dizer que foi o nosso maior representante do barroco - ou ao menos o mais reconhecido atualmente. Viveu no século XVII, no que hoje é o Nordeste do Brasil. E aqui fica uma singela homenagem, com uma poesia escrita … Continue lendo >Gregório de Matos

>Mário Quintana

>Fiquei muito tempo sem quase ler poesia. Anos.Ficava impaciente pra me concentrar em textos tão densos e freqüentemente curtos. Não estava com concentração para tanto. O óbvio: para cada momento da vida, um tipo de leitura.E recentemente voltou o tempo pra poesia. Pra (re)começar, Mário Quintana (influência de uma amiga querida, que de tanto gostar … Continue lendo >Mário Quintana